Buscar
  • Revista Traços

Podcast Toma Aí Um Poema completará meio milhão de inicializações


No próximo mês, o Podcast Toma Aí Um Poema completará 500 artistas declamados e meio milhão de inicializações, tornando-o maior em língua portuguesa.

O projeto de declamação de poesia lusófona, que iniciou em abril de 2020, vem se destacando nas plataformas de streaming de música e podcast, tendo sido escutado em mais de 70 países.

O podcast publica pelo menos um poema por dia, com duração aproximada de um minuto, seguindo um cronograma semanal para as postagens.

Nas segundas-feiras declama poetas lusófonos do continente africano. Nas terças, poesia contemporânea, nas quartas poemas temáticos que mudam de mês em mês, nas quintas é realizada a leitura de poemas do Brasil e Portugal, nas sextas publica poemas de ouvintes, aos sábados posta traduções e aos domingos declama músicas.

Segundo Jéssica Iancoski, poeta curitibana e criadora do Toma Aí Um Poema, a poesia tem ganhado novos formatos e linguagens no meio digital, sendo o podcast um dos novos modos, tanto de publicação online, quanto de apreciação “o podcast é uma ponte que conecta autores com futuros leitores”.

A articuladora cultural afirma que os amantes da quinta arte, a literatura, têm buscado novas formas de consumir a poesia. Como é o caso da ouvinte Kedma Honório.

Dentre os 18 mil seguidores do podcast no Spotify, Kedma Honório é uma das que mais se destaca. “O Toma Aí Um Poema é o meu podcast favorito, gosto de escutá-lo no final do dia enquanto tomo o meu café e aprecio uma boa paisagem”.

Por sua vez, Jakeline Andrade, outra ouvinte do podcast, gosta de acordar com os declames “o Toma Aí Um Poema é o som do meu despertador de todos os dias”. O Toma Aí Um Poema é o espaço favorito no spotify da cearense, pois funciona como um recinto virtual de refúgio artístico de acalanto à alma. “Fico horas e horas ouvindo, um poema atrás do outro, lidos com a voz deliciosa que a Jéssica Iancoski tem”. E, ainda completa “Para mim o melhor de tudo é que o programa vai direto ao ponto, sem música de abertura nem introdução, que é o que me irrita nos demais podcasts”.

Além do carinho e apoio dos ouvintes, o projeto também conquistou o coração de muitos poetas como é o caso de Michaela v. Schmaedel, autora de “Quênia – poemas de viagem” (2021, Cas’a Edições) “Amo as leituras da Jéssica, ela tem a melhor voz desse Brasil!” e Kika Souza, 3º lugar do concurso "SLAM - Poesia Marginal" em Manaus “Para mim, significa muito ter um poema declamado no podcast e disponibilizado em grandes plataformas do meio digital, ajuda a minha luta ser reconhecida”.

“Eu não imaginava que o podcast ia crescer tanto em um ano. Fico surpresa e emocionada com o carinho de todos, significa muito, sobretudo para o momento em que vivemos. Acredito que a poesia é uma resposta e que nós precisamos responder. Responder com livros, com arte, com palavras, tudo o que nos tem indignado individualmente e coletivamente. Precisamos emprestar palavras e, também, pegá-las emprestadas. Assim, para nos expressarmos melhor. Anotem: a poesia nunca é inofensiva. “, explica a criadora do podcast.

89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo